Artigos

45 anos do Cemitério Ecumênico João XXIII

O Cemitério Ecumênico João XXIII foi entregue à comunidade porto-alegrense em ato público no dia 27 de abril de 1972. 

 

Esses 45 anos de história são marcados por:


• Qualidade nos processos, nas relações de trabalho e nos serviços prestados.

• Responsabilidade social com o apoio financeiro aos projetos sociais de sua mantenedora, a ACM-RS.

• Respeito e reverência à memória daqueles que ajudaram a construir nossa história.

• E o mais importante, de um serviço essencial que gera transformação social em busca de uma sociedade mais justa e igualitária.

 

 

Mosaico CEJ

 

     

    

   

Qualidade como prioridade

Qualidade nos processos, nas relações de trabalho e nos serviços prestados. Com isso, o Cemitério Ecumênico João XXIII acredita que, mais do que garantir a orientação e acolhida às pessoas em um momento difícil, essa é uma forma de respeito e reverência à memória daqueles que ajudaram a construir nossa história. Com isso, o João XXIII foi o primeiro cemitério do Brasil a receber um Prêmio de Qualidade. Entre os reconhecimentos, os prêmios do Programa Gaúcho de Qualidade e Produtividade – PGQP (Medalha Bronze – 2000, Troféu Bronze – 2002 e Troféu Prata – 2003 e 2007), além do Prêmio Nacional de Qualidade Sincep/Acembra – 2008.

 

 

Trabalho que transforma nossa sociedade

Entre os valores do Cemitério Ecumênico João XXIII está a Responsabilidade Social. Importante parte de seu resultado financeiro é investida nos projetos sociais de sua mantenedora, a ACM-RS, que atendem milhares de pessoas em vulnerabilidade social, principalmente crianças e jovens, através de diversas atividades de educação, esportes, capacitação profissional, convivência, orientação social, voluntariado e liderança. Ao todo, são realizados cerca de 1 milhão de atendimentos por ano.