Institucional

 


A História do Cemitério Ecumênico João XXIII

"Um lugar de memória e reverência, onde a vida se transforma"

 

O Cemitério Ecumênico João XXIII foi entregue à comunidade porto-alegrense em ato público, no dia 27 de abril de 1972, no terreno que anteriormente abrigava o Esporte Clube Cruzeiro. A Associação Cristã de Moços do Rio Grande do Sul (ACM-RS) assumiu diretamente a administração do Cemitério em 16 de março de 1993. O Cemitério caracteriza-se como uma unidade prestadora de serviço público essencial, que desempenha importante papel, contribuindo com a sua proprietária e administradora (a ACM-RS) na realização de suas obras sociais.

 

Essa história é marcada por:

• Qualidade nos processos, nas relações de trabalho e nos serviços prestados.

• Responsabilidade social com o apoio financeiro aos projetos sociais de sua mantenedora, a ACM-RS.

• Respeito e reverência à memória daqueles que ajudaram a construir nossa história.

• E o mais importante, de um serviço essencial que gera transformação social em busca de uma sociedade mais justa e igualitária.

  

     

    

   


Regulamento


O Regulamento do Cemitério Ecumênico João XXIII contém as normas que disciplinam e organizam o funcionamento da necrópole. É distribuído aos clientes com cessão de uso perpétuo e temporário.

 

Caso tenha interesse em conhecer o Regulamento do CEJXXIII, ele está disponível para download no link abaixo. 

 

 


Código de Ética


O Cemitério Ecumênico João XXIII incorporou o Código de Ética desenvolvido e aprovado pelo Sindicato dos Cemitérios e Crematórios Particulares do Brasil (SINCEP).

 

O Código de Ética, que rege as atividades do Cemitério, pode ser visualizado através do arquivo disponível para download no link abaixo.